Header Ads Widget

Responsive Advertisement

Apagão celeste no clássico da a vitoria ao rival



Em um clássico eletrizante e muito bem jogado, o Atlético conseguiu uma importantíssima vitória sobre o Cruzeiro, por 3 a 1, neste domingo, no Independência, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time celeste foi muito superior no começo do jogo, abrindo o placar com Thiago Neves. Mas o Galo conseguiu se encontrar e virou o placar com os inspirados Cazares e Fred, que anotou duas vezes.

Com o resultado, o alvinegro melhorou bastante sua situação na tabela de classificação, ocupando momentaneamente a 6ª posição, com 16 pontos. Já o Cruzeiro estacionou nos 13, caindo para o 13º lugar.

Na próxima rodada, o time de Roger Machado vai encarar o Botafogo, no Engenhão. Já a Raposa recebe o embalado Palmeiras, no Mineirão, também no domingo.

O jogo

O Cruzeiro começou o jogo arrasador. Logo aos cinco minutos, Thiago Neves puxou contra-ataque pelo meio e lançou Alisson pela esquerda. O atacante avançou e cruzou rasteiro para o próprio Thiago Neves, que fuzilou Victor, abrindo o placar para os visitantes.

Aos oito, quase veio o segundo. Thiago Neves soltou uma bomba em cobrança de falta de longe, obrigando Victor a se esticar todo para desviar a bola.

Só dava Cruzeiro no Horto. Aos 28, Robinho recebeu na direita e fez um cruzamento que mais parecia um chute. O equatoriano Caicedo desviou de leve na bola, que passou muito perto da trave direita de Victor.

O Galo cresceu depois dos 30 minutos. Aos 33, Cazares recebeu na entrada da área, limpou a marcação e tocou para Robinho na esquerda. O camisa 7 cruzou para Fred, mas a defesa celeste conseguir cortar antes da finalização alvinegra.

Aos 37, Yago cruzou para Fred, que, de peixinho, acertou uma boa cabeçada. A bola saiu por muito pouco. No final do primeiro tempo, Fred escorou de cabeça para o Yago, que matou no peito e chutou forte, mas por cima do gol.

Em apenas dois minutos, o Atlético virou o clássico. Aos 47, Fábio Santos sofreu falta na entrada da área e Cazares, com muita categoria, colocou a bola no ângulo direito de Fábio, que ficou paralisado no lance.

Logo na sequência, aos 49, Alex Silva cobrou lateral na direita para Elias, que devolveu para o substituo de Marcos Rocha. Ele chegou a linha de fundo e tocou na medida para Fred, que sem marcação só empurrou para as redes, fazendo o Independência explodir.

Depois do eletrizante primeiro tempo, os arquirrivais voltaram um pouco mais conservadores dos vestiários. Tanto que a primeira boa chance veio apenas aos 17 minutos. Em cobrança de falta na entrada da área, Thiago Neves buscou o canto esquerdo de Victor, que fez ótima defesa.

Em desvantagem no placar, o Cruzeiro tentava pressionar o Galo em seu campo. Porém, a defesa alvinegra estava muito bem postada e complicava as ações ofensivas do rival.

Aos 29, Cazares mostrou mais uma vez que estava com o pé direito calibrado. O equatoriano bateu falta com muita categoria, no ângulo direito de Fábio, mas a bola passou triscando a trave.

A importantíssima vitória atleticana foi consolidada aos 33 minutos. O inspirado Cazares recebeu na direita, se livrou de Leo e cruzou na medida para Fred, que testou no contrapé de Fábio, que ficou vendido no lance.

O clássico ainda ficou paralisado por 12 minutos, já que a iluminação do Horto apresentou problemas. Depois que a situação foi normalizada, pouca coisa aconteceu e o Galo colocou na conta os três pontos.

Atlético 3 x 1 Cruzeiro

Motivo: 11ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 02 de julho de 2017
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael Alves e Elio Nepomuceno de Andrade (RS)
Gols: Thiago Neves, aos 5 min do 1ºT, Cazares, aos 47 min do 1ºT, Fred, aos 49 min do 1ºT, e Fred, aos 33 do 2ºT
Atlético: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva (Bremer), Gabriel e Fábio Santos; Roger Bernardo, Yago (Adílson), Elias e Cazares; Robinho e Fred (Rafael Moura). Técnico: Roger Machado
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Caicedo, Leo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho (Élber) e Thiago Neves; Alisson (Sassá) e Rafael Sóbis (Ramón Ábila). Técnico: Mano Menezes

Postar um comentário

0 Comentários