Troca de comando não surte efeito, Atlético é derrotado pelo Vasco e dá novo vexame em casa - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES

Breaking

domingo, 23 de julho de 2017

Troca de comando não surte efeito, Atlético é derrotado pelo Vasco e dá novo vexame em casa

A demissão do técnico Roger Machado, após a derrota no meio da semana para o Bahia, no Independência, não mexeu com o grupo de jogadores do Atlético. Nem mesmo a troca de comando foi suficiente para sacudir o time que, assim como diante do Tricolor de Aço, teve atuação apática e perdeu por 2 a 1 para o Vasco, na noite deste domingo, novamente em pleno Horto.

Paulinho, de apenas 17 anos, marcou os dois gols do Vasco. Yago balançou as redes para o Atlético em um golaço de fora da área, o primeiro dele como profissional, mas que não pôde ser muito comemorado diante de mais um péssimo resultado.

Foi a terceira derrota seguida do Atlético no Independência. Antes, o Galo havia perdido para Santos (1 a 0) e Bahia (2 a 0). Para se ter uma ideia do resultado deste domingo, o time alvinegro conseguiu derrubar um longo tabu diante do Vasco, em Belo Horizonte. Desde 1995 os cariocas não sabiam o que era vencer na capital mineira.

Além dos maus resultados, o Atlético se preocupa com a situação de Fred, que deixou o campo logo aos 11 minutos de jogo com dores na panturrilha direita.

Com mais uma derrota, o Atlético caiu para a 13ª posição, com 20 pontos, e começa a se preocupar com a zona de rebaixamento. São apenas três pontos de diferença para o Avaí, que abre o Z4. Já o Vasco subiu para o oitavo lugar, com 23.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Atlético só volta a jogar no domingo, às 16h, contra o Coritiba, no Couto Pereira. O próximo compromisso alvinegro será diante do Botafogo, na quarta-feira, às 19h30, no Rio de Janeiro, pelo duelo de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Como venceu por 1 a 0 no confronto de ida, no Independência, o Galo precisa de um empate para avançar. Derrota por um gol de diferença, desde que balance as redes, também dá a vaga nas semifinais aos mineiros.

O jogo

O jogo teve como características muita movimentação e intensidade, especialmente no primeiro tempo. Os dois times criaram várias oportunidades de gol e também sofreram com lesões inesperadas de jogadores importantes ainda na primeira etapa: Fred, no Atlético, e Paulão, no Vasco, que foram substituídos.

O volante vascaíno Bruno Paulista foi o responsável pelo primeiro susto para a torcida atleticana e também para o goleiro Giovanni, em uma cobrança de falta batida com muita força e que passou perto da trave superior da meta do time mineiro.

A noite começava ruim para os mandantes. Aos 10 minutos, Fred sentiu uma fisgada na panturrilha direita e deixou o gramado. O atacante Rafael Moura entrou no lugar dele. Pouco depois, a situação do time da casa ficaria ainda mais complicada.

O Vasco abriu o placar aos 13 minutos. A equipe carioca se aproveitou de uma saída de bola errada do time atleticano no meio de campo. O argentino Escudero viu o menino Paulinho se projetando em direção à área e tocou. O jovem meia - que integra a seleção brasileira sub-17 - passou pelo zagueiro Alex Silva e tocou na saída de Giovanni: 1 a 0.

A saída do centroavante e a abertura do placar pelos visitantes irritaram a torcida, que começou a vaiar o time. Mas, por sorte, o Vasco devolveu o favor que recebeu, errando uma saída de bola, aos 17 minutos. Yago dominou e acertou um lindo chute de fora da área. A bola bateu na trave superior do goleiro uruguaio Martín Silva e quitou já dentro da linha: 1 a 1.

O time cruzmaltino também perdeu um jogador por contusão ainda no primeiro tempo. O zagueiro Paulão deixou o campo para a entrada de Jomar que, um minuto depois, aos 22, recebeu o primeiro cartão amarelo da partida. Aos 23, Otero bateu falta da direita, a zaga do Vasco falhou de novo e Rafael Moura chutou forte para o gol, mas Jomar conseguiu desviar e impediu o gol da virada atleticana.

Bruno Paulista levaria novamente perigo ao gol de Giovanni aos 31 minutos, quando dominou de fora da área e disparou para o gol. Mas, aos 32, foi a vez do Atlético assustar. Marlone tocou para Robinho, na esquerda. O atacante cruzou com perigo, mas a zaga desviou para escanteio.

O time carioca chegou mais uma vez com perigo aos 35 minutos, quando o atacante Paulo Vitor bateu para o gol e obrigou Giovanni a fazer ótima defesa. No rebote, Matheus Vital tocou para o gol, mas o zagueiro Matheus Mancini conseguiu tirar quase sobre a linha. No entanto, a assistente Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo já havia impugnado todo o lance, assinalando - equivocadamente - impedimento.

A segunda etapa começou com as equipes buscando o jogo, como no primeiro tempo. Rafael Moura, aos 7 minutos, recebeu passe na esquerda e foi avançando, levou a marcação para o fundo e, quase sem ângulo, bateu forte, de canhota, mas Martín Silva fez grande defesa e espalmou para escanteio.

O time carioca voltou a surpreender os donos da casa aos 22 minutos, quando Guilherme disparou da defesa para o ataque pela direita e tocou para o menino Paulinho, que recebeu, cortou para dentro e soltou uma bomba que entrou no ângulo direito de Giovanni: 2 a 1.

Aos 29 minutos, o lateral-esquerdo Fábio Santos, do Atlético, dividiu de cabeça com o volante Wellington, do Vasco, e caiu no gramado sangrando bastante. Ele foi atendido e voltou ao campo com uma proteção na cabeça.

O Vasco, mesmo com menos posse de bola, passou a controlar o jogo. Mas os mineiros ainda tiveram mais uma grande oportunidade de empatar a partida, aos 44 minutos, com Cazares. O equatoriano correu com liberdade pelo meio e chutou com perigo. Foi a última boa chance para evitar a derrota e, no fim da partida, a torcida atleticana não perdoou e voltou a chamar o time de "sem vergonha" e a vaiar os atletas.

Atlético 1 x 2 Vasco

Atlético: Giovanni; Alex Silva, Matheus Mancini, Jesiel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Yago, Marlone e Otero (Luan); Robinho (Cazares) e Fred (Rafael Moura). Técnico: Diogo Giacomini (interino)

Vasco: Martín Silva; Gilberto, Rafael Marques, Paulão (Jomar) e Ramon; Jean, Bruno Paulista (Wellington), Paulinho, Mateus Vital e Escudero (Guilherme Costa); Paulo Vitor. Técnico: Milton Mendes

Motivo: 16ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 23/07/2017, às 19h

Gols: Paulinho (13’/1º e 22’/2º), Yago (17’/1º)

Cartão Amarelo: Yago, Alex Silva, Matheus Mancini, Otero, Marlone (Atlético); Escudero, Jomar, Bruno Paulista (Vasco)

Árbitro: Raphael Claus (SP/Fifa)
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro (SP/CBF) e Tatiane Sacilotti dos S. Camargo (SP/Fifa)

Público: 12.497 torcedores

Renda: R$ 312.236,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário