Cruzeiro, supera o Bahia e se mantém no G6 do Brasileirão - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES


 

Breaking

 ASSISTIR AGORA!

domingo, 17 de setembro de 2017

Cruzeiro, supera o Bahia e se mantém no G6 do Brasileirão



Com a cabeça na finalíssima da Copa do Brasil, dia 27, contra o Flamengo, no Mineirão, o Cruzeiro entrou em campo neste domingo contra o Bahia, no Gigante da Pampulha, com o que tinha de melhor. 

No entanto, o time celeste começou disperso e quase se complicou no primeiro tempo ao jogar mal. Mas na etapa final, mesmo perdendo um pênalti no início, o time melhorou e venceu por 1 a 0.

O zagueiro Léo balançou as redes aos 17 minutos do segundo tempo garantindo a vitória à Raposa e ‘salvando a pele’ de Thiago Neves, que aos quatro minutos desperdiçou um pênalti sofrido por Raniel. No entanto, o meia se redimiu no lance do gol ao cobrar o escanteio na cabeça do defensor.

No fim da partida, Lucas Silva deu uma ‘tesoura’ por trás do meia Zé Rafael para parar um contra-ataque do Bahia e levou o cartão vermelho direto. O volante havia entrado no decorrer do segundo tempo na vaga de Hudson e ficou apenas nove minutos em campo. Mesmo com um jogador a menos, o Cruzeiro segurou o ímpeto do Bahia para garantir os três pontos.

Com a vitória, o Cruzeiro recuperou a posição no G6, voltando ao sexto lugar, com 37 pontos, empatado com o Botafogo (sétimo colocado) e Palmeiras (quinto, que joga nesta segunda-feira contra o Coritiba, no Pacaembu).

Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Atlético-GO, domingo, às 16h, no estádio Olímpico. Nesta partida, o técnico Mano Menezes deverá utilizar uma formação reserva, pois três dias depois o time decidirá o título da Copa do Brasil com o Flamengo, no Mineirão. Já o Bahia entra em campo também no próximo domingo, mas às 19h, diante do Grêmio, na Fonte Nova.

O jogo

O Cruzeiro encontrou dificuldades durante todo o jogo, mas principalmente no primeiro tempo. Com Vinícius no lugar de Régis na meia, por opção do técnico Preto Casagrande, o Bahia tinha uma estratégia bem definida - e oposta à do adversário. Enquanto o time mandante valorizava a posse, o visitante se fechava em duas linhas de quatro e apostava nos contra-ataques.

Faltava, contudo, movimentação do sistema ofensivo do Cruzeiro. Os laterais pouco avançavam, os volantes não apareciam e Robinho Rafinha e Raniel faziam uma partida, quando muito, discreta. Apenas Thiago Neves tentava algo diferente. E foi em chute de fora da área do meia a única chance criada pela equipe no primeiro tempo, facilmente defendido por Jean ainda aos oito minutos.

Equilibrado na defesa e apostando na velocidade de Zé Rafael e Mendoza, o Bahia tinha o duelo controlado. Tão controlado que, a partir dos 35 minutos, forçou o jogo e desperdiçou chances sucessivas na etapa inicial.

Primeiro com o atacante colombiano, ao driblar três marcadores e chutar por cima. Depois em cabeçada de Tiago, aproveitando cobrança de escanteio - a bola raspou a trave direita. E, por fim, na maior delas, com Vinícius: após rápido contra-ataque, o meia recebeu dentro da área, sem marcação, e deu leve toque por cobertura. Fábio fez grande defesa.

Pênalti perdido, gol salvador e Lucas Silva expulso

A inoperância de seu sistema ofensivo parece não tê-lo incomodado e Mano não mexeu no time após o intervalo. E o duelo seguia no mesmo ritmo quando, aos quatro, após levantamento na área, Rodrigão e Raniel se enroscaram e o árbitro marcou um pênalti duvidoso. Na cobrança, porém, Thiago Neves bateu no canto esquerdo e à meia altura. E Jean salvou o Bahia.

Irritado com a marcação do pênalti mesmo após a defesa, Preto Casagrande seguiu reclamando e acabou expulso por Wagner Reway. Já Mano sentiu a chance desperdiçada e mexeu no time - colocou o meia uruguaio Arrascaeta no lugar de Rafinha. E, mesmo sem brilho, a equipe abriu o placar aos 17, quando Léo aproveitou cobrança de escanteio, ganhou no alto e cabeceou no canto. O zagueiro ainda precisou ser atendido pelos médicos depois de bater a cabeça e permanecer caído, mas voltou para o jogo.

Sem reação depois de sofrer o primeiro gol, o Bahia pouco criou em busca do empate. Lucas Silva ainda deu carrinho por trás e foi expulso poucos minutos após entrar em campo - e nem assim o time baiano conseguiu pressionar. Assim, mesmo sem brilho, o Cruzeiro obteve boa vitória, passou pelo teste e se garantiu no G6 por mais uma rodada.

Cruzeiro 1 x 0 Bahia

Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa. Henrique, Hudson (Lucas Silva), Robinho (Rafael Sobis), Thiago Neves e Rafinha (Arrascaeta); Raniel. Técnico: Mano Menezes

Bahia: Jean; Eduardo, Tiago (Thiago Martins), Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Edson e Juninho; Vinícius (Edigar Junio), Zé Rafael e Mendoza; Rodrigão (Hernane). Técnico: Preto Casagrande

Motivo: 24ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data e horário: 17 de setembro de 2017, domingo, às 19h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gol: Léo (17’/2º)

Cartão Amarelo: Henrique, Raniel, Robinho, Léo, Thiago Neves (Cruzeiro); Vinícius (Bahia)

Cartão Vermelho: Lucas Silva (Cruzeiro)

Árbitro: Wagner Reway (Fifa-MT)
Auxiliares: Eduardo Gonçalves da Cruz (CBF-MS) e Fábio Rodrigo Rubinho (CBF-MT)
Adicionais: Marcos Mateus Pereira (CBF-MS) e Rafael Odilio Ramos dos Santos (CBF-MT)

Veja os Lances: