Cruzeiro reage na Copa Libertadores, com goleada no Universidad de chile - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES


 

Breaking

 ASSISTIR AGORA!

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Cruzeiro reage na Copa Libertadores, com goleada no Universidad de chile


Há três jogos sem vencer e sem marcar gol na temporada, o Cruzeiro exterminou os dois jejuns de uma só vez, e de maneira excepcional. Com atitude totalmente diferente das últimas partidas, a equipe celeste ‘passou o trator’ na Universidad de Chile aplicando uma goleada histórica de 7 a 0, nesta quinta-feira, no Mineirão, pelo Grupo 5 da Copa Libertadores.

Os gols de Thiago Neves e Sassá, que marcaram duas vezes, Rafinha, Arrascaeta e Rafael Sobis, ajudaram o Cruzeiro a conquistar a primeira vitória na competição internacional. O triunfo foi fundamental para manter a Raposa na briga por uma vaga nas oitavas de final.

Com a goleada, o Cruzeiro ultrapassou a La U na classificação do Grupo 5 e subiu para o segundo lugar, com cinco pontos ganhos, entrando na zona de classificação às oitavas. Já os chilenos caíram para a terceira colocação, também com cinco, mas com saldo de gols pior: cinco positivos contra seis negativos.

O resultado elástico foi facilitado pelas duas expulsões na Universidad de Chile. Os zagueiros Vilches, aos 45 minutos do primeiro tempo, e Echeverría, aos três da etapa final, receberam o cartão vermelho e deixaram a La U com nove jogadores em campo. Enquanto os chilenos estiveram com 11 atletas, a Raposa abriu 3 a 0.

É a maior goleada do Cruzeiro sob o comando de Mano Menezes. Até então, o time celeste havia marcado, no máximo, seis gols em uma única partida com o treinador: na vitória por 6 a 0 sobre o São Francisco-PA, na campanha do penta da Copa do Brasil do ano passado.

A preocupação fica por conta de Thiago Neves, que sentiu dores na coxa direita nos minutos finais. Como Mano Menezes já havia feito as três alterações, o armador seguiu em campo mancando até o apito final.

Na próxima quarta-feira, às 21h45, o Cruzeiro vai até o Rio de Janeiro para enfrentar o Vasco, pela penúltima rodada do Grupo 5. Já a Universidad de Chile visita o Racing, na Argentina, na quinta, às 19h15.

Antes, a Raposa tem compromisso pelo Campeonato Brasileiro. No domingo, às 19h, a equipe celeste encara o Internacional, no Beira-Rio, pela terceira rodada. Após ser derrotado nos dois primeiros jogos, o Cruzeiro vai atrás dos primeiros pontos na competição.
  • O JOGO



No jogo de ida entre Universidad de Chile e Cruzeiro, a equipe de Mano Menezes encontrou dificuldade para criar chances de gol. Pensando nisso, o treinador optou pela entrada de Rafinha no meio-campo e Sassá no comando do ataque.

O time mineiro começou ligado a partida e deixou o adversário perdido ao abrir o marcador logo aos nove minutos. Thiago Neves cobrou falta no meio do gol e o goleiro Johnny Herrera, ex-Corinthians, aceitou. 

A Universidad de Chile entrou com uma formação de três zagueiros e tinha a expectativa de jogar no contra-ataque. Com o gol sofrido, ficou completamente desorganizado e via o Cruzeiro dominar a partida. Com os chilenos já na roda, o time mineiro ampliou aos 17. Thiago Neves lançou Sassá, que tentou encobrir Herrera. A bola passou pelo goleiro e iria sair pela linha de fundo. Rafinha apareceu e, de cabeça, fez o segundo. 

Com a vantagem, o Cruzeiro diminuiu um pouco o ritmo no primeiro tempo e passou a esperar pela chegada da Universidad de Chile. Então, aproveitou um contra-ataque aos 43 minutos para praticamente matar o jogo. Thiago Neves tabelou com Arrascaeta, que invadiu a área driblou Vilches e sofreu o pênalti. Sassá bateu e ampliou. 

O time mineiro ainda desceu para intervalo com mais uma vantagem. Vilches, que havia levado amarelo no lance do pênalti, segurou a camisa de Arrascaeta evitando um novo contra-ataque, e foi expulso de campo.

No começo da etapa final, a Universidad de Chile perdeu mais um atleta. Em nova disputa com Arrascaeta, desta vez Echeverría empurrou o jogador cruzeirense e levou o segundo amarelo na partida, deixando os chilenos com dois a menos.

O Cruzeiro passou a girar a bola de um lado para o outro. Edílson recebeu na direita e cruzou na área para Arrascaeta, que tocou com categoria no canto esquerdo de Herrera: 4 a 0.

O quinto veio pelo outro lado. Thiago Neves mandou para área da esquerda e Sassá desviou para as redes. 

O passeio continuava. Arrascaeta inverteu da esquerda para a direita. Lucas Romero cabeceou para o meio da área e Thiago Neves fez o sexto. 

Havia tempo ainda para mais um. Rafael Sóbis, que entrou no lugar de Sassá, conseguiu deixar o dele ao aproveitar cruzamento de Egídio da esquerda. 

Nos minutos finais, a única nota triste para o Cruzeiro. Thiago Neves sentiu a coxa direita e, como Mano já havia feito as três alterações, o meio-campista seguiu em campo mancando até o apito final.
  • CRUZEIRO 7 X 0 UNIVERSIDAD DE CHILE



Cruzeiro: Fábio; Edilson (Lucas Romero), Léo, Dedé e Egídio; Henrique (Ariel Cabral), Lucas Silva, Rafinha, Thiago Neves e Arrascaeta; Sassá (Rafael Sobis). Técnico: Mano Menezes

Universidad de Chile: Johnny Herrera; Vilches, Echeverría e Jara; Matías Rodríguez, Reyes, Pizarro (Contreras), Araos e Beausejour; Soteldo (Rafael Caroca) e Pinilla (Guerra). Técnico: Ángel Guillermo Hoyos 

Motivo: 4ª rodada - Grupo 5 da Copa Libertadores
Data: 26 de abril de 2018, quinta-feira, às 19h15
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Thiago Neves (9’/1º, 29’/2º), Rafinha (17’/1º), Sassá (pênalti - 43’/1º, 16’/2º), Arrascaeta (8’/2º), Rafael Sobis (35’/2º)

Cartões Amarelos: Henrique (Cruzeiro); Echeverría, Vilches (Universidad de Chile)
Cartões Vermelhos: Vilches, Echeverría (Universidad de Chile)

Árbitro: Roddy Zambrano Olmedo (Equador)
Auxiliares: Christian Lescano (Equador) e Luis Vera (Equador)

Público: 30.252 pagantes / 34.147 presentes
Renda: R$ 1.584.454,00