Header Ads Widget

Responsive Advertisement

EM REUNIÃO, GRUPO DE CONSELHEIROS DO CRUZEIRO COBRA EXPLICAÇÕES DE WAGNER PIRES


A terça-feira (24) foi de reunião na sede administrativa do Barro Preto, em Belo Horizonte, para tratar de assuntos importantes sobre o Cruzeiro. 

Um grupo de conselheiros, que até o momento apoiam o presidente Wagner Pires de Sá, foi pedir explicações e medidas mais enérgicas para tirar o clube da crise atual. Segundo apurado, os conselheiros cobraram de Wagner Pires de Sá uma postura de “presidente”, que pare de colocar toda a culpa na oposição e que assuma suas responsabilidades. 

Além do presidente Wagner Pires de Sá, participaram da reunião o diretor Financeiro, Flávio Pena; o diretor de Comunicação, Valdir Barbosa; o gerente de Futebol, Marcone Barbosa e o advogado do clube, Édson Travassos. 

Os conselheiros saíram da reunião convencidos de algumas situações, mas sem explicações sobre vários assuntos tratados no encontro. O grupo ainda pediu que o presidente convoque uma entrevista coletiva para explicar e apresentar documentos sobre o que vem acontecendo com a instituição.

A Itatiaia apurou também que foi apenas o primeiro encontro para cobrar de forma mais efusiva o presidente e que outras medidas não estão descartadas. Há ainda a possibilidade de alguns desses conselheiros deixarem a base de apoio da atual gestão e formar uma chapa independente para as eleições de 2020.

    RESPOSTA                                                

Em nota oficial enviada ao Club Sports, o Cruzeiro informou que a reunião foi convocada por Wagner Pires de Sá para tratar sobre o momento atual vivido pelo Cruzeiro, com destaque para a situação financeira e política. 

“Os conselheiros tiveram toda liberdade para questionarem os diversos assuntos do clube e pediram ao presidente que apresente, de forma oficial, sua posição à imprensa. Esse foi o primeiro grupo de conselheiros a se reunir com o presidente. 

O lado financeiro foi apresentado em detalhes pelo diretor financeiro Flávio Pena”, destaca trecho da nota, que responsabiliza a gestão anterior por boa parte dos problemas atuais.

“O presidente destacou as dificuldades que sua diretoria teve quando assumiu o clube com três meses de pagamentos atrasados e inúmeras dívidas que vieram da gestão anterior. 

Inicialmente foram gastos R$ 50 milhões para regularizar salários e outros compromissos imediatos, necessitando fazer um empréstimo para liquidar os mesmos já que o caixa do clube estava vazio. E várias outras dívidas herdadas atormentam a vida financeira do clube até hoje”, diz outro trecho da nota. 

O clube informa ainda que novas reuniões estão programadas para os próximos dias. “Após essa série de reuniões, Wagner Pires de Sá vai se posicionar oficialmente a respeito de todos os assuntos que estiveram em pauta”, diz.

Postar um comentário

0 Comentários