Com time misto, Cruzeiro sofre, mas vence Chapecoense e abre vantagem na Copa do Brasil - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES

Breaking

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Com time misto, Cruzeiro sofre, mas vence Chapecoense e abre vantagem na Copa do Brasil



De olho na finalíssima do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro mandou a campo um time misto para enfrentar a Chapecoense - que acionou os reservas -, nesta quarta-feira, no Mineirão, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. Apesar de ter aberto o placar logo aos dois minutos de jogo, a equipe celeste caiu de rendimento ao longo da partida, sofreu no fim, mas ganhou por 1 a 0 e conseguiu abrir uma vantagem no confronto. Mas a torcida não gostou e vaiou o time ao fim do duelo.

O gol da vitória celeste foi marcado pelo jovem atacante Raniel, de 20 anos, que balançou as redes pela primeira vez com a camisa celeste. E foi um golaço. Ele recebeu a bola pela ponta esquerda, levou para o meio e mandou uma bomba no ângulo.

Foram cinco alterações em relação ao time que empatou com o Atlético, domingo passado pelo primeiro jogo da final do Estadual. Dedé, Lucas Silva, Alisson, Raniel e Lennon, que fez sua estreia pela Raposa.

Com o resultado, o Cruzeiro poderá empatar ou perder por um gol de diferença - desde que balance as redes - no duelo da volta, marcado para o dia 1º de junho, em Chapecó, para avançar às quartas de final da Copa do Brasil. Vitória da Chape por 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis.

Agora, o Cruzeiro volta o foco para a finalíssima do Campeonato Mineiro contra o Atlético, no próximo domingo, às 16h, no Independência. Para ser campeão, o time celeste é obrigado a vencer.

O jogo

A decisão do Campeonato Mineiro, neste domingo, contra o Atlético Mineiro, levou o técnico Mano Menezes a poupar titulares como Mayke, Léo, Hudson, Rafinha e Rafael Sóbis. Era uma boa chance para bons nomes como Dedé, Lucas Silva e Raniel mostrarem serviço.

E a tática de Mano Menezes deu certo no início. As equipes ainda se estudavam quando Raniel dominou na esquerda, carregou para o meio, arriscou e, de muito longe, acertou o ângulo. Um golaço logo aos dois minutos para abrir o placar ao time misto do Cruzeiro.

O gol não mudou o panorama do jogo. Preocupada com a final do Campeonato Catarinense, também neste domingo, contra o Avaí, a Chapecoense também tinha uma equipe alternativa, com apenas Andrei Girotto mantido entre os titulares. Assim, o time sentia o desentrosamento e apenas assistia o Cruzeiro trocar passes.

Mas o time mineiro tinha dificuldades para transformar o domínio em oportunidades. O jogo se arrastava lentamente - com passes laterais trocados no meio de campo. Acomodada, a equipe de Mano Menezes viu o adversário chegar mais ao seu campo. A primeira boa chegada da Chapecoense, porém, ocorreu apenas aos 31 minutos em finalização para fora de Niltinho. E foi só.

Nada mudou no início do segundo tempo. As duas equipes pareciam satisfeitas com o resultado - o Cruzeiro pela vantagem e a Chapecoense por se manter viva para o jogo da volta - e apenas administravam a posse de bola. Melhor para os sistemas defensivos, que se sobressaíam no duelo.

Alguns titulares, então, como Wellington Paulista, Arthur, Rossi (pela Chapecoense), Rafinha e Hudson (pelo Cruzeiro), foram a campo. As mudanças melhoraram o ritmo e a equipe catarinense aumentou a pressão. Passou a insistir em escanteios e cruzamentos, mas sem chegar com muito perigo. Assim, a principal chance veio em cabeceada de Fabrício Bruno, aos 26 minutos, facilmente defendida por Rafael.

O time catarinense até ameaçou nos minutos finais. Era pouco. Apesar da fraca atuação e do jogo sem qualquer qualidade, o resultado manteve as duas equipes vivas na competição - e relativamente descansadas para a final dos Estaduais.

Cruzeiro 1 x 0 Chapecoense

Cruzeiro: Rafael; Lennon, Caicedo, Dedé e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva (Hudson), Alisson, Thiago Neves (Rafinha) e Arrascaeta; Raniel (Rafael Sobis). Técnico: Mano Menezes

Chapecoense: Elias; Apodi, Victor Ramos, Fabrício Bruno e Diego Renan; Andrei Girotto, Nathan e Nenén (Arthur Caike); Niltinho (Rossi), Osman e Túlio de Melo (Wellington Paulista). Técnico: Vagner Mancini

Motivo: jogo de ida – oitavas de final da Copa do Brasil
Data: 3 de maio de 2017, quarta-feira, às 21h45
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gol: Raniel (2’/1º)

Cartão Amarelo: Andrei Girotto, Wellington Paulista, Fabrício Bruno (Chapecoense); Dedé (Cruzeiro)

Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza - SP (CBF)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho - SP (FIFA) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo - SP (FIFA)

Público: 11.716 presentes / 8.516 pagantes
Renda: R$ 203.069,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário