Atlético anuncia aumento na capacidade da Arena MRV ‘sem reajuste no investimento’ - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES


 

Breaking

 ASSISTIR AGORA!

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Atlético anuncia aumento na capacidade da Arena MRV ‘sem reajuste no investimento’


O Atlético comunicou na noite desta terça-feira que o projeto da Arena MRV sofreu uma mudança. De acordo com o clube, o estádio não mais capacidade para 41.800 torcedores, mas sim 47 mil. O aumento de pouco mais de 5 mil lugares foi garantido pela a equipe técnica responsável pela construção, sem a necessidade de reajustar o valor final da obra.

A Arena MRV custará R$ 410 milhões, mas, de acordo com o Atlético, nenhum centavo sairá do futebol. Em setembro do ano passado, os conselheiros do clube aprovaram a venda de 50,1% do shopping Diamond Mall para a Multiplan, o que irá gerar R$ 250 milhões para a obra. O restante do dinheiro será captado por meio da venda do naming rights (a MRV comprou os direitos por R$ 60 milhões) e da comercialização de cerca de 4.700 cadeiras cativas do estádio por R$ 100 milhões (60% do valor já foi garantido pelo banco BMG). O terreno, localizado no Bairro Califórnia, Região Noroeste de BH e avaliado em mais de R$ 50 milhões, foi doado pela família de Rubens Menin, presidente da MRV.

O primeiro passo do trâmite burocrático é o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), enviar o projeto para votação na Câmara Municipal da capital, onde os vereadores farão os trabalhos em dois turnos. Caso seja aprovado, seguirá adiante.

 MAGLIANE

Como deve ser enquadrado como Operação Urbana Consorciada – intervenções pontuais realizadas sob a coordenação do Poder Público e envolvendo a iniciativa privada –, o PL precisará do ‘sim’ de dois terços dos 41 vereadores nos dois turnos. Ou seja, 28 parlamentares têm que concordar com a obra nas duas votações.

Passando na Câmara, o projeto seguirá, então, para o Conselho Municipal de Meio Ambiente, responsável pelo licenciamento ambiental, além de secretarias como a Sudecap Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) e autarquias da capital, como a BHTrans, por exemplo. Por fim, o início da construção dependerá de um alvará da Secretaria de Regulação Urbana. Esse processo deve demorar até seis meses. A previsão é que a obra comece em meados de 2018 e tenha duração de dois anos e meio, ficando pronta no fim de 2020.