Pelo Hexa! Cruzeiro elimina Palmeiras e defende título da Copa BR contra o Corinthians - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES


 

Breaking

 ASSISTIR AGORA!

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Pelo Hexa! Cruzeiro elimina Palmeiras e defende título da Copa BR contra o Corinthians




Pelo segundo ano seguido, o Cruzeiro eliminou o Palmeiras na Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, o time celeste empatou por 1 a 1 com o time paulista, no Mineirão, pela semifinal da competição. Assim, a lista de sonhos do Palmeiras para o fim do ano terá de ser mais simples. Se o time e a torcida esperavam uma série de conquistas, esta competição já não pode mais.

A vantagem cruzeirense de 1 a 0 construída no jogo de ida, no Allianz Parque, com gol ainda no começo de jogo, se mostrou decisiva para o Cruzeiro. Organizada na defesa, a equipe pouco foi pressionada no Mineirão principalmente por ter encontrado um Palmeiras muito pouco efetivo no ataque para quem precisava vencer fora de casa. O placar agregado de 2 a 1 tem como ingrediente mais cruel ao time alviverde ter levado dois gols do argentino Hernán Barcos, ex-atleta do clube.

Os times de Mano Menezes e de Felipão fizeram jus ao estilo dos técnicos. Um jogo de muita marcação, obediência tática e de muita posse de bola no meio-campo. No primeiro tempo de duas finalizações a gol e vários desarmes, prevaleceu a criação e a qualidade da armação do Cruzeiro. A mobilidade de Lucas Silva e Thiago Neves foi superior à inércia palmeirense.



O Cruzeiro ampliou a vantagem obtida no jogo de ida ao voltar a marcar com o mesmo jogador. O ex-palmeirense Barcos se aproveitou da falha na linha de impedimento para entrar livre na área e concluir, aos 26 minutos de jogo. O gol foi uma homenagem ao filho Gael, nascido na véspera da partida.

A resposta do Palmeiras foi conseguir um chute perigoso com Moisés, ainda no primeiro tempo. Foi pouco. Com o jogo muito travado e favorável ao Cruzeiro, detentor da vantagem, Felipão mexeu no intervalo para colocar Guerra e Deyverson.

As alterações ainda buscavam se adaptar em campo quando um gol mexeu com a situação. Dudu cobrou escanteio e Felipe Melo subiu para marcar de cabeça e empatar, aos cinco minutos. O Palmeiras só precisaria de mais um gol para levar aos pênaltis e evoluía.

Guerra corrigiu a principal falha do primeiro tempo, ao dar movimentação ao meio-campo. Com estilo brigador, Deyverson era mais adequado ao combate físico com os defensores cruzeirenses. No duelo tático com Felipão, Mano corrigiu a rota do time ao fazer trocas para reforçar a marcação e explorar o contra-ataque.

O Cruzeiro se fechou na defesa e segurou o jogo até os 53 minutos do segundo tempo para segurar a classificação à final para enfrentar o Corinthians. O fim da partida acabou marcado por uma briga no campo e confusão nas tribunas entre a polícia e a torcida do Palmeiras.

Com a vantagem de ter vencido o jogo de ida por 1 a 0 em São Paulo, o time mineiro classificou-se pela oitava vez para a final da competição, igualando-se ao recordista Grêmio. O time celeste, porém, luta pelo hexa, para se isolar do próprio Grêmio, que também tem cinco títulos na competição. Além disso, o Cruzeiro tem a chance de ser o primeiro bicampeão consecutivo da Copa do Brasil - o adversário na final será o Corinthians, que venceu o Flamengo por 2 a 1 em SP. Já o Palmeiras, com a eliminação na Copa do Brasil, sofre seu primeiro baque sob o comando de Luiz Felipe Scolari, mas segue vivíssimo em outras duas frentes: Libertadores e Brasileirão.

          O JOGO        

Valendo-se da vantagem, o Cruzeiro encurralou o Palmeiras e não se expôs para não dar o contra-ataque ao adversário. Saindo só na boa, foi cirúrgico e na única grande chance que teve, fez o gol com Barcos, aos 26 minutos, aproveitando lindo passe de Lucas Silva e falha de Antônio Carlos na marcação. Olha a lei do ex aí de novo!

O Palmeiras, que já não conseguia sair da marcação cruzeirense, passou a demonstrar nervosismo e nenhuma opção ofensiva. O Verdão deu apenas uma finalização a gol, com Moisés, contra duas do Cruzeiro.

Na segunda etapa, Felipão tirou Borja e Bruno Henrique e colocou Deyverson e Guerra. As mudanças surtiram efeito e aos 4 minutos Felipe Melo empatou o jogo. Dudu cobrou escanteio na cabeça do volante, que ganhou de Dedé.

O Cruzeiro sentiu o baque. Mano Menezes também fez uma alteração dupla, aos 16 entraram Sassá e Bruno Silva nos lugares de Barcos e Thiago Neves. Deu certo. O Cruzeiro voltou a equilibrar a disputa, criando chances para chegar ao segundo gol no contra-ataque e cozinhando o Palmeiras, ao amarrar mais o jogo no meio-campo.

Confusão

Logo após o apito final, jogadores de Cruzeiro e Palmeiras saíram no tapa. Do lado do Palmeiras, dois ex-cruzeirenses eram os mais exaltados: Mayke (que ficou na reserva) e Diogo Barbosa – ambos acabaram recebendo cartão vermelho. No lado do Cruzeiro, Sassá era o mais empenhado em brigar – e também foi expulso, e está fora da primeira partida da final diante do Corinthians.

           CRUZEIRO 1 X 1 PALMEIRAS              

Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Mancuello), Thiago Neves (Bruno Silva) e Rafinha; Barcos (Sassá). Técnico: Mano Menezes

 Palmeiras: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique (Guerra), Moisés (Jean), Willian e Dudu; Borja (Deyverson). Técnico: Felipão

Gols: Barcos (26'/1º); Felipe Melo (4'/2º) 
Cartões amarelos: Egídio (Cruzeiro); Borja, Felipe Melo, Deyverson e Willian (Palmeiras)
Cartão vermelho: Sassá (Cruzeiro; Diogo Barbosa e Mike (Palmeiras)

Motivo: jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil
Data e horário: 26 de setembro de 2018, quarta-feira, às 21h45
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (Fifa-RJ) e Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC)
Árbitro de vídeo: Anderson Daronco (Fifa-RS)

Público Presente: 44.681
Público Pagante: 37.959
Renda: R$ 2.128.080,00

      COLETIVA - MANO MENEZES APÓS JOGO CONTRA O PALMEIRAS