AMCE lançará em setembro um projeto especial - CLUB SPORTS | O SEU CANAL DE ESPORTES


 

Breaking

 ASSISTIR AGORA!

sábado, 26 de agosto de 2017

AMCE lançará em setembro um projeto especial


Luiz Carlos Gomes Presidente da associação em rede sociais manifesta sobre novo projeto da AMCE.

Em setembro em memória. da Rádio Inconfidência AM, a AMCE - Associação Mineira de Cronistas Esportivos, prepara para lançar um projeto especial. A cada semana a AMCE vai conversar com um cronista esportivo, tanto da velha guarda, como da nova geração, da capital e do interior. 
Um papo informal, contando histórias, falando sobre as carreiras, bastidores e muito mais.

HISTÓRIA 

Fundada no dia 25 de Julho de 1939 com o nome de Associação dos Cronistas Esportivos de Belo Horizonte, teve sua reunião de instalação na sede da Liga de Futebol de Belo Horizonte que na ocasião funcionava a Rua Espírito Santo, 424, sala 22, bem no centro comercial da capital mineira.

Esta reunião solene aconteceu com a presença de ilustres jornalistas esportivos da cidade, tendo assinado a ata de fundação as seguintes pessoas: Armando Azevedo dos Santos, que representava a Associação dos Cronistas Desportivos do Rio de Janeiro e presidiu a sessão, Antenor Silvestre da Costa Leite – representando o Clube de Regatas Flamengo, do Rio de Janeiro -, Saint-Clair Valadares – presidente da Liga de Futebol de Belo Horizonte e escolhido como presidente de honra da nova entidade -, Fábio Pinto Coelho – representando o Clube Atlético Mineiro -, Canôr Simões Coelho, Leni Prata, Julio Correia, Ney Octaviani Bernis, Álvaro Celso da Trindade, Joaquim Brum de Almeida, José Olinto Mourão, Marcelo Tavares, Rui de Castro Miranda, Osvaldo Bráulio Vilhena, Domingos D’Ângelo – secretário da reunião de fundação da entidade – e José de Araujo Cotta. Conforme consta da ata oficial de fundação da associação, todas as pessoas acima citadas e que assinaram a primeira ata são considerados fundadores da entidade.

Aos poucos, a entidade conseguiu reunir a maioria dos jornalistas que militavam na cobertura esportiva de Belo Horizonte, não só do futebol, como em outros esportes para o seu quadro de associados.

Em 1940, procurando aumentar seu raio de ação, a entidade passou a se chamar Associação Mineira de Cronistas Esportivos – AMCE, como é conhecida até os dias de hoje.

Desde seu inicio, a AMCE sempre procurou ser democrática e participava, atuando em todos os segmentos da sociedade, estimulando a pratica desportiva, as atividades sociais e de lazer e, ao mesmo tempo, congregando os radialistas e jornalistas esportivos, valorizando a profissão e defendendo com orgulho o esporte mineiro.

Entre os anos 40 e 50 era normal ver a AMCE participando ativamente da vida dos clubes mineiros, promovendo torneios, regatas, corridas, desfiles e festas.

Aos poucos o seu quadro social foi crescendo. A AMCE tinha associados espalhados em todas as regiões de Minas e, com o desenvolvimento do esporte mineiro, especialmente do futebol, a AMCE passou a atuar com desenvoltura em todo o território nacional, credenciando seus associados para o trabalho de cobertura e defendendo bandeiras importantes em favor do esporte.

Na década de 40, a AMCE através de seus dirigentes e apoiadores, desenvolveu grande movimento em favor de transformar Belo Horizonte como uma das sedes da Copa do Mundo de 50. A iniciativa foi coroada de sucesso culminou com inauguração do Estádio Independência, apelidado de Gigante do Horto e palco não só de memoráveis jogos da referida Copa, como de muitos outros grandes jogos oficiais e amistosos envolvendo os principais times de Minas. De 50 a 65, o novo estádio foi orgulho dos mineiros e viu surgir uma talentosa geração de cronistas esportivos, abrigados e estimulados pela AMCE.

Ao mesmo tempo em que empurrava o futebol mineiro rumo ao sucesso, a AMCE participava ativamente dos movimentos do futebol amador, do vôlei, basquete, futebol de salão, boxe, corridas, ginástica, natação e outros esportes. Muitos de seus associados tornaram-se especialistas em coberturas dos mais variados esportes, chegando alguns a se transformarem em grandes treinadores e dirigentes. Ao mesmo tempo, grandes atletas, ao fim de suas carreiras, entraram para os quadros da AMCE e se transformaram em excelentes cronistas esportivos.